Testador de Componentes M8 ou T8

Recentemente, numa de suas aulas online, o meu amigo Prof. Fernando José apresentou um destes Testadores de Componentes chineses denominado T7 e comentou que já havia uma versão mais nova conhecida como Testador de Componentes M8 ou T8.

Estes aparelhinhos que eu chamo de “X-tudo”, numa alusão jocosa aos sandubas das carrocinhas, estão se tornando cada vez mais comuns e, o mais importante, são tão baratos que cabem nos bolsos (furados) dos técnicos ou hobistas brasileiros.

Todo esse lero-lero é para dizer que resolver investigar a dica do Fernando José a fim de incluí-la no volume 2 do meu e-book Testando Componentes Eletrônicos que estou a preparar para um futuro próximo.

No Aliexpress e no Banggood encontrei, entre outros, o Kit M8 Transistor Test que será tratado neste post.

O Testador de Componentes M8 ou T8 pode ser encontrado já montado e até dentro de um gabinete bonitinho mas, com a inflação comendo o nosso dinheiro preferi em forma de kit que sai um pouco mais barato.

Por outro lado, se você é um iniciante em eletrônica o kit é uma boa oportunidade de desenvolver o aprendizado.

Para quem pretende comprar o kit do Testador de Componentes M8 ou T8 vale ressaltar logo de cara que eu encontrei duas versões para este testador “X-Tudo”, sendo uma denominada como Ver.1602 e outra como Ver.12864, que foi a que eu comprei no Aliexpress.

Dependendo de quando você estiver a ler este post outras versões já poderão ter surgido.

As fig.1 e fig.2 mostram as diferenças nas PCI’s de cada uma das versões.

Fig. 1 – Testador de Componentes T8 Ver.1602

Fig. 2 – Kit M8 Transistor Test Ver. 12864

Embora as duas versões utilizem o Atmega 328, a posição dos componentes nas PCIs é bem diferente e especial atenção deve ser dada à instalação do display LCD.

O kit chegou

Em menos de 30 dias recebi do Aliexpress o kit num saquinho plástico sem nenhuma instrução no melhor estilo “se vira nos trinta”.

Na página do vendedor chinês temos um breve resumo das características do aparelhinho e só isso.

Entretanto, se mudarmos para o idioma inglês, como sempre prefiro, encontraremos este link do Dropbox com um PDF mais detalhado e que me serviu de apoio para este post.

E o que estes testadores testam?

Antes de passar para algumas considerações sobre a montagem, calibração de testes vamos dar uma olhada na lista de componentes que o M8 pode testar além de transistores como aparece no título.

 Resistores
 Potenciômetros
 Capacitores
 Eletrolíticos
 Bobinas
 Diodos
 LEDs
 Transistores bipolares NPN e PNP
 Darlingtons NPN e PNP
 FETs canal N e canal P
 IGBTs canal N e canal P
 MOSFETS canal N e canal P
 Tiristores (com restrições)
 Triacs (com restrições)
 Gerador de onda quadrada 1Hz a MHz
 Frequencímetro (CUIDADO)
 Gerador de PWM

Importante ressaltar que uma das vantagens destes medidores é que além de apresentarem as características elétricas do componente sob teste podemos ter na tela a simbologia e pinagem dos semicondutores o que pode ser de grande ajuda até para técnicos experientes.

Sem dúvida o M8 ou T8 é um verdadeiro “Testador X-Tudo” e, diferentemente dos sandubas engordurados com direito a refresco grátis, não faz mal à saúde!

# Partiu montagem

Mesmo que você tenha experiência é sempre bom lembrar que a montagem deve ser feita com bastante cuidado e usando um ferro de solda de boa qualidade, assim como a solda também deve ser do tipo 60×40 o 63×37.

Confira com atenção a colocação dos componentes antes de soldar. A PCI tem furos metalizados e se for preciso retirar um componente que, por distração, foi soldado no local errado, vai dar trabalho.

No geral a montagem não traz nenhuma complicação exceto, talvez, no que diz respeito a colocação do display LCD.

Na versão 12864, que foi a que eu comprei, a colocação dos pinos do display deve ser feita de acordo com o mostrado na fig.3 e é diferente versão 1602.

Fig. 3 – Colocação dos pinos no LCD

Terminou a montagem?

O que qualquer um faria depois que terminasse de soldar todos os componentes?

Provavelmente colocaria a alimentação, neste caso 9V e ligaria para ver que “bicho daria”.

Muita calma nessa hora.

Antes de queimar tudo leia as instruções.

No breve resumo do vendedor que aparece na Internet há uma observação, que certamente passará desapercebida para a maioria, dizendo para NÃO COLOCAR o Atmega 328, bem como o display, antes de medir a tensão entre os pinos 7 e 22 do soquete do CI.

Em seguida pressione o eixo do encoder e verifique a tensão medida entre estes dois pinos.

Se a leitura for 5V, aí sim, podemos instalar o Atmega e o display tendo o cuidado de desconectar a alimentação antes.

Acompanhe na fig.4.

Fig. 4 – Verificação da alimentação do kit

E se eu queimar o Atmega 328?

Se está pensando em comprar outro e colocar no lugar, sinto informar aos não iniciados que não vai funcionar.

Este CI é um microcontrolador AVR de 8 bits no qual instala-se o programa (firmware) de cada projeto e para tal será preciso ter o código de programação do testador.

Autoteste e Calibração

Antes começar a usar o “Testador X-tudo” precisamos fazer um autoteste e a calibração do aparelho.

Para o autoteste insira dois jumps no conector Zero Insertion Force (ZIF) como mostrado na fig.5 e pressione o encoder por dois segundos.

Fig. 5 autoteste e calibração doM8

Observe que os jumps devem ser colocados entre os slots 1,2 e 2,3 do conector ZIF.

O próximo passo será a calibração. Para isso devemos inserir entre os pinos 1 e 3 um capacitor com valor entre 100nF e 20uF (que não deve ser eletrolítico). O kit vem com um capacitor de poliéster de 220nF.

Estes procedimentos eu vou demonstrar no vídeo que acompanha este post.

Como colocar o componente no Testador

Existem três maneiras de colocarmos no testador o componente que queremos testar.
São elas:
1) No Zero Insertion Force (ZIF).
2) Nos Test Points TP1, TP2 e TP3 que vemos logo abaixo do ZIF.
3) Nos três pontos para componentes SMD (de pouca utilidade a meu ver).

Acompanhe na fig.6.

Fig. 6 – Test Point do Testador M8

A maneira como serão utilizadas será mais bem explicada no vídeo.
Frequencímetro, F-Generator e 10 bit- PWM.

Existem  mais três funções que o Testador de Componentes nos oferece como bônus:

  1. Frequencímetro
  2. Gerador de onda quadrada 
  3. Gerador de PWM

No destaque da fig.7 vemos no canto superior direito da PCI dois pontos marcados como GND e F-IN que servirão para entrada de um sinal cuja frequência desejamos medir, ou seja, funciona como um frequencímetro.

Fig.7 – F-Generator

CUIDADO!

O sinal aplicado, cuja frequência queremos medir, deverá ter uma tensão pico a pico de 5V no MÁXIMO, caso contrário iremos queimar o Atmega.

Sinceramente, não acho que este frequencímetro tenha muita utilidade e não vou me arriscar a utilizar.

Nos Teste Points TP1 e TP3 podemos ter um sinal PWM como se vê na fig.8 obtidas a partir da rotação do encoder.

Fig.8 – Sinal PWN

No TP2 e GND obtemos onda quadrada de várias frequências com 5V pico a pico como vemos na fig.9.

Fig. 9 -Onda quadrada

Colocando dentro de uma caixa

Na forma como vem o kit não fica muito prático para usar o testador no dia a dia por isso, resolvi colocá-lo dentro de uma caixa plástica e fazer alguma implementações que podem servir de inspiração aos interessados.

Coloquei três mini conectores tipo banana ligados aos test points TP1, TP2 e TP3 pois, nem sempre será possível colocar diretamente no ZIF o componente a ser testado.

Como não pretendo usar bateria coloquei um conector para ligar uma fonte de 9V externamente.

Embora eu não tenha a intenção de usar o frequencímetro, como mencionei anteriormente, resolvi que deveria deixar um conector BNC disponível para esta função.

Finalmente, acrescentei um plug RCA para a saída da onda quadrada ou do PWM.

Quando eu estava a terminar de escrever o post encontre um “case” para ele vendido na Banggood como se vê na fig.10.

Fig.10 – Case da Banggood para o Testador M8

 

Assim que chegar eu mostro como ficou em novo post.

Mostrando a calibração e os testes de componentes

Esta parte fica mais fácil de acompanhar através de um vídeo que você vê abaixo.

Espero que estas orientações ajudem a tirar o melhor proveito deste testador e aguardos os comentários.

Leia também

Testador de Componentes M8 ou T8 – O que ninguém conta para você

Paulo Brites

Técnico em eletrônica formado em 1968 pela Escola Técnica de Ciências Eletrônicas, professor de matemática formado pela UFF/CEDERJ com especialização em física. Atualmente aposentado atuando como técnico free lance em restauração de aparelhos antigos, escrevendo e-books e artigos técnicos e dando aula particular de matemática e física.

Website:

10 Comentários

  1. alberto

    boa tarde…
    tem como confeccionar um UNLOOPERS para gravar e apagar cartao….agradeço desde ja.

    • Paulo Brites

      Não conheço este assunto

  2. Josias de Jesus

    boa noite professor mestre Paulo Brites. Aqui e Josias de Jesus técnico em eletrônica e aluno do professor Fernando Jose.
    Venho aqui lhe agradecer pela essa oportunidade de fala com vossa pessoa e ao mesmo tempo aprender um pouco mais com vc. Obrigado.

    • Paulo Brites

      Obrigado pela participação aqui no blog
      Tem mais de 300 artigos aqui e e-books, uns grátis e outros vendidos por valores simbólicos.
      Espero que aproveite o material.

  3. Adorei esse post!
    Muito bom para trabalhar medições com os alunos de Eletrônica, Robótica, Física, Engenharia…
    Muito obrigado por compartilhar seus conhecimentos.
    Forte abraço

    César Bastos
    (RJ- Brasil)

  4. Muito interessante o artigo e vídeo sobre o multi-testador chines. Para fazer par com esse x-tudo sugiro o kit gerador de funções XR-2206 chines (Aliexpress e Banggod) também (!!). Eu montei um desses e inclui por conta um gerador de ruído branco. Parabéns!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *