search
top

Os gnomos e duendes da rede elétrica


Tomada com duendeCertamente meus leitores devem estar achando que eu pirei de vez com este título – “os gnomos e duendes da rede elétrica”.

 

Bem, diz um ditado espanhol – “não acredito em bruxas, mas que elas existem, existem”.

Vamos esclarecer logo esta história antes que você fique em dúvida se está lendo um artigo do Paulo Brites ou do Paulo Coelho.

Tecnicamente os “gnomos e duendes da rede elétrica” são chamados de transientes.

Ah! Agora melhorou né?

Mas o que são transientes?

Transiente ou transitório é tudo o que ocorre num curto intervalo de tempo e desaparece em seguida (mais ou menos como os gnomos e duendes, pra quem acredita!). Para a engenharia elétrica transiente é, basicamente, um surto de tensão da rede que ocorre num curtíssimo intervalo de tempo.

Quando eu estava fazendo a pesquisa sobre este assunto encontrei no “meu baú” um artigo escrito, em maio de 1984, pelo Jaime G. Moraes, “meu colega” de páginas da Antenna.

O artigo citado intitulava-se “Conheça os transientes e proteja-se contra eles”.

Comecei a reler o material, 30 anos depois, e cheguei à conclusão que se fosse escrever sobre o tema corria o risco de, inconscientemente, findar por plagiá-lo em certos pontos.
Você pode achar estranho que eu venha aqui colocar algo que trata de tecnologia e que foi escrito há 30 anos atrás.

Não estaria ultrapassado?

Pelo contrário. Ele estava não verdade vislumbrando um tema que se tornaria extremamente relevante no futuro justamente por causa do avanço de tecnologias que, na época, nem se imaginavam que surgiriam.

Então pensei, por que escrever de novo sobre algo que alguém já escreveu e muito bem?

Resolvi pedir autorização ao “seu” Jaime (não confundir com “seu” Jorge) para reproduzir o material aqui no site.

E é o que passo a apresentar a seguir na integra.
Trata-se de um tema, como já disse, de extrema importância nos dias atuais e que, às vezes, passa desapercebido pelos técnicos, portanto vale apena uma leitura atenta.

Por outro lado você concluirá que a maioria dos chamados “filtros de linha” vendidos por aí não passam de uma “régua” de modo e em alguns casos muito ruins.

    Clique na setinha a direita para expandir o texto


Técnico em eletrônica formado em 1968 pela Escola Técnica de Ciências Eletrônicas, professor de matemática formado pela UFF/CEDERJ com especialização em física. Atualmente aposentado atuando como técnico free lance em restauração de aparelhos antigos, escrevendo e-books e artigos técnicos e dando aula particular de matemática e física.

banner ad

Deixe seu comentário

top