search
top

Módulo Universal para reparo de fontes chaveadas

 

Era uma tarde de sábado do mês de julho e eu navegava pela Internet quando, de repente, fui bater em “mares nunca dantes navegados”, como disse Camões, e me deparei com um produto made in China que prometia ser um módulo universal para reparo de fontes chaveadas.
Mudei a rota da minha navegação internautica e, assim como Cabral, não fui para as Índias (e nem para o Brasil) e sim, para a China, ou melhor, para o ebay onde se pode comprar tudo barato graças à mão de obra escrava.

O tal módulo universal para reparo de fontes chaveadas prometia recuperar pequenas fontes (até 80W mais ou menos) cujos CIs e transistores são difíceis de encontrar ou muito caros e tornam o reparo economicamente injustificável.

Módulo Universal para foonte chaveada

Geralmente são fontes de DVDs baratos ou monitores de LCD cujo valor cobrado pelo conserto não pode passar de cinquenta reais (e olhe lá!).

Como abomino a politica do “joga fora e compra outro” resolvi “ancorar meu barco” por ali e me aprofundar (sem trocadilho) no assunto.

Acabei descobrindo outro vendedor diferente do que aparece na figura acima e que oferecia uma unidade do mesmo módulo universal por $3,90 que corresponderia a cerca de R$ 8,00.

Resolvi arriscar. Se eu comprasse do primeiro vendedor sairia por $1,80, mas teria que comprar 10 peças e como a intenção era a pesquisa optei por pagar mais que o dobro e comprar um só.

Enquanto o produto não chegava fui aprofundando a pesquisa sobre o “remédio milagroso” para reparar fontes chaveadas que parecia aquelas ervas vendidas pelos camelôs que curam desde unha encravada, câncer até AIDS.

Analisando uma fonte chaveada “genérica”

O esquema abaixo mostra uma destas fontes pequenas usadas em DVDs, por exemplo.
Em alguns casos o FET chaveador já vem incorporado ao PWM.

 

Esquema de uma fonte chaveada "genérica"

Esquema de uma fonte chaveada “genérica”

Ao deparar-se como uma fonte destas para reparo, quase sempre, o técnico acaba desistindo porque não encontra o FET (às vezes ele explodiu e não dá para saber o código) ou CI não é conhecido como no caso do exemplo onde temos o famoso KA3842.
Pois bem, o módulo “milagroso” poderá resolver o problema e ajudá-lo a ganhar um dinheirinho e, o que é mais importante, evitar que o aparelho vá poluir algum rio por aí.
Antes, porém de apelar para o “milagre” verifique os componentes da fonte tais como resistores, eletrolíticos e diodos.

Se você dispõe do testador de chopper que foi publicado aqui no site não custa nada dar uma olhadinha nele também.

Finalmente a encomenda chegou da China

Cerca de dois meses depois da compra, eis que eu recebo um envelope com o módulo universal para reparo de fontes chaveadas.

Módulo Universal made in China

Módulo Universal made in China

A primeira coisa que fiz foi ver o código do CI, ou melhor, tentar ver porque obviamente o chinês teve o cuidado de raspá-lo como costumam fazer alguns “fabricantes” de amplificadores aqui no Brasil (no tempo que ainda se “fabricava” alguma coisa por aqui).
Mas, como dizem por aí, o chinês “deu mole”.

 

PCI do módulo Universal

PCI do módulo Universal

Escondeu o gato, mas o felino ficou como o rabo de fora. Lá estava o “F” que denunciava ser a nova logomarca da Fairchild em um CI de 6 pinos com encapsulamento TO-220.
Assim, o primeiro passo para a fazer a engenharia reversa já estava dado.
Como dá pra ver na foto acima a plaquinha estava recoberta com um espaguete retrátil que eu, cuidadosamente, removi e logo apareceram os componentes (3 resistores, 2 capacitores e 1 diodo) e partir deles pude levantar o esquema do “módulo”.
Embora o módulo não venha com nenhuma instrução de como ligá-lo ao circuito original da fonte temos o site do vendedor um “esquema” indicando a função de cada fio pela sua cor.
Verde – Tensão de partida. Conectar ao positivo do capacitor de filtro.
Branco – Conectar ao pino 4 do acoplador óptico (coletor do foto transistor).
Vermelho – Conectar ao pino de alimentação do CI PWM original que deverá ser removido.
Preto – Conectar ao hot ground (negativo do capacitor de filtro).
Amarelo – Conectar ao pino do dreno do MOSFET da fonte que também deverá ser removido.

Fazendo a engenharia reversa

Sabendo onde cada fio deveria ser ligado no circuito original foi fácil levantar o circuito do módulo.

Circuito do módulo

Circuito do módulo

Agora que eu já dispunha do circuito mostrando a ligação a cada pino do CI ficaria mais fácil descobrir quem ele era.

Ainda bem que existe o Google

Bastou digitar a frase “6 pins fairchild smps TO220 IC” para aparecerem três “candidatos: FSD176MRT, FSCM0465R e FSDM0565RB.

FSDM 0565RB

FSDM 0565RB

Baixados os respectivos data sheets deu para ver que todos eles tinham a pinagem que se encaixava no módulo chinês.

Descoberto qual o possível CI utilizado para a construção do módulo cheguei à conclusão que seria melhor comprá-lo pronto na China do que tentar comprar o CI por aqui e montar o módulo, pois acabaria custando mais caro.

Entretanto, valeu a satisfação descobrir o mistério e mostrar ao chinês que brasileiro também sabe fazer engenharia reversa.

Alguns cuidados na instalação

Primeiramente devemos retirar o CI PWM original da fonte e o MOSFET (se houver).
Verifique os componentes periféricos e substitua os ruins ou suspeitos (claro).
Faça um pequeno furo na PCI para passar os fios para parte de baixo da placa e deixar o módulo na parte de cima aparafusando-o no dissipador onde estava o MOSFET ou o CI.
Solde os fios de acordo com as cores e a relação que foi dada acima.
Um cuidado especial deve ser dado ao fio branco que corresponde ao pino 4 do acoplador óptico.
Em algumas fontes o pino do acoplador que corresponde ao emissor do foto transistor não está referenciado ao hot ground (negativo do capacitor de filtro).
Neste caso devemos cortar as ligações dos pinos 3 e 4 com o resto do circuito e ligar o fio branco do pino 4 e o pino 3 deverá ser ligado ao hot ground através de um pedaço de fio externo.

Modificação na ligação do acolador óptico

Modificação na ligação do acolador óptico

Finalmente feitas todas as ligações, conferidas e re-conferidas, é hora de ligar o circuito, através de uma lâmpada série como manda a boa norma e se tudo estiver certo teremos menos um aparelho no lixo, mais um din-din no seu bolso e um cliente feliz.
Eu ainda não tive oportunidade de experimentar o módulo, mas pelo que andei vendo na Internet tudo indica que funciona.
Entretanto, vale ressaltar que ele se aplica em fontes pequenas.
Se alguém resolver se arrisca manda para mim os resultados com detalhes e fotos que eu publico aqui e dou os créditos para o autor da façanha.
Até sempre
.

Técnico em eletrônica formado em 1968 pela Escola Técnica de Ciências Eletrônicas, professor de matemática formado pela UFF/CEDERJ com especialização em física. Atualmente aposentado atuando como técnico free lance em restauração de aparelhos antigos, escrevendo e-books e artigos técnicos e dando aula particular de matemática e física.

banner ad

2 Responses to “Módulo Universal para reparo de fontes chaveadas”

  1. leandro soares disse:

    E AI PAULO. E O LEANDRO .DESCOBRI ESSE MODULO COM VOCE NO SEU BLOG E COMPREI DA CHINA 10 PCS.ACABEI DE FAZER O TESTE COM UMA FONTE QUE FUNCIONAVA PERFEITAMENTE.RETIREI O CI E FIZ A ADAPTAÇAO. FUNCIONOU DIREITINHO.VALEU PELA DICA.

    • paulobrites disse:

      Olá Leandro
      Obrigado pelo retorno Que bom que deu certo, assim encoraja outras pessoas.
      Abraços
      Paulo Brites

Deixe seu comentário

top