search
top

Chegou meu brinquedinho novo made in China

Medidor de ESR, diodos, transistores, etc

Medidor de ESR, diodos, transistores, etc

Este meu brinquedinho novo made in China, certamente, era tudo que eu gostaria de ter ganhado do Papai Noel quando eu comecei a “mexer” com eletrônica lá pelos meus 14 anos de idade.

Ele é um verdadeiro X-Tudo da eletrônica. Veja só o que o bichinho é capaz de medir:

1)    Capacitância (25pF a 100.000uF) e, o mais importante, ESR também.

2)   Indutância (0,01mH a 20H).

3)   Resistência (0,5 a 50Mohms).

E ainda tem mais: diodos, transistores bipolares e mosfets.

Achou pouco? Ele é capaz de identificar automaticamente os terminais dos transistores e informar os principais parâmetros. Por essa você não esperava, não é mesmo?

Bem, acho que você se interessou pelo meu brinquedinho novo made in China e como o Natal está chegando vai querer pedir um para o Papai Noel. Então, vou lhe contar como tudo aconteceu.

 Recentemente um colega estava procurando alguma coisa no site de vendas chinês Aliexpress quando se deparou com este “X-tudo” e resolveu me mandar o link para eu analisar.

Lá encontrei o dito cujo com a seguinte descrição 2014 Newest Transistor Tester Capacitor ESR Inductance Resistor Meter NPN PNP Mosfet e o preço era tentador: $18,54 (frete incluído) o que convertido para nossa moeda daria cerca de quarenta reais.

Quando eu vi que ele também media a ESR dos capacitores meu interesse aumentou.

Há muito tempo venho procurando um medidor de ESR bom e barato para indicar para os leitores do site.

Já encontrei um aqui no Brasil, escrevi para o “fabricante”, e ele nunca me respondeu.  Deve estar vendendo muitas unidades por minuto e não tem tempo para responder e-mails dos clientes. Então o jeito é comprar da China mesmo.

 

Soquete Zero Force

Soquete Zero Force

Tratava-se de um módulo sem gabinete, como podemos ver na foto que abre o artigo, operado com bateria de 9V e um soquete tipo Zero Force (ver foto ao lado) para se colocar o componente a ser testado.

Explorando o site um pouco mais encontrei outros vendedores com o mesmo aparelhinho em um gabinete, mas neste caso o preço passava para $30 o que daria cerca de setenta reais, o que ainda era um valor bem razoável.

Medidor com gabinete

Medidor com gabinete

Resolvi arriscar no mais barato para ver como funcionava até porque o display do mais barato é maior.

Usando o “brinquedinho”

Em menos de 20 dias minha encomenda chegou e eu comecei a explorá-lo.

A primeira coisa que vi foi que ele se baseia no microcontrolador Atmega 328 da Atmel (o mesmo do Arduíno) o que explica todas as “mágicas” que ele é capaz de realizar.

Tive que descobrir tudo na base da adivinhação, já não veio nenhum manual de instruções acompanhando aparelho o que, aliás pouco adiantaria, pois provavelmente viria em mandarim!

Pra começar observe na figura abaixo que há um conector tipo Zero Force onde o componente a ser testado deverá ser colocado.

Conexão do Zero Force

Conexão do Zero Force

Note a numeração (1-2-3-1-1-1-1) logo acima do conector bem como os terminais ao lado marcados com 1-2-3.

Dava para notar pelas trilhas do circuito impressor que estes três terminais (pontos para soldar) seriam extensões do Zero Force onde se poderiam colocar bornes ligados através de fios.

Inicialmente testei um capacitor usando o conector Zero Force.

Teste de capacitor

Teste de capacitor

Ele foi colocado nas “janelinhas” 1 e 3 (poderia ser 1 e 2 ou 2 e 3) do conector e a leitura apareceu poucos segundos após o display mostrar um auto teste com o valor da bateria de 9V que o alimenta: C = 2358uF e ESR = 0,07ohms o que indicava capacitor estava perfeito (valor nominal 2200uF).

Auto test

Auto test

Vale chamar a atenção que o capacitor deverá estar descarregado para ser colocado no teste, pois caso contrário você irá derramar muitas lágrimas sobre o seu falecido e eletrocutado brinquedinho novo.

Continuando a explorar o “X-tudo” coloquei um transistor 2N3055 nos terminais 1, 2 e 3 (através dos bornes que eu coloque externamente) sem me preocupar com o tipo (PNP ou NPN) bem como a disposição dos terminais (base, emissor, coletor). E eis o que apareceu na “telinha”.

Testando o 2N3055

Testando o 2N3055

Exatamente o que você está vendo, o símbolo do transistor com a indicação de cada terminal, o valor do hfe e a tensão de polarização da junção base-emissor. Demais, não é mesmo?

Minha próxima vítima a ser testada pelo brinquedinho foi um MOSFET.

E mais uma vez lá estava o símbolo do transistor mostrando a existência de um diodo interno entre dreno e supridouro, a identificação de cada terminal, bem como a tensão de estrangulamento gate-supridouro (Vt) e a capacitância da porta.

Testando MOSFET

Testando MOSFET

Finalmente medi a indutância de uma bobina.

Medida de indutor

Esta é uma excelente aplicação que poderá ajudar a localizar problemas em transformadores chopper e dos utilizados nos circuitos INVERTER dos TV’s LCD, se tivermos outro para comparar as indutâncias dos enrolamentos.

Colocando o módulo numa caixinha

Como eu disse optei pelo módulo mais barato que vem sem gabinete de proteção e logo percebi que seria necessário providenciar um para proteger a placa que fica com os componentes expostos na parte de trás.

Para isso usei uma pequena caixinha plástica tipo Patola onde coloquei também três bornes mini banana nos pinos 1, 2 e 3 para não ficar usando o Zero Force o tempo todo, pois ele é muito frágil e também poder testar transistores grandes como o 2N3055, por exemplo.

Montagem do medidor numa caixa Patola

Montagem do medidor numa caixa Patola

Nem tudo são flores sempre tem um “mas”…

Como eu sempre costumo dizer teste bom é aquele que mostra que o componente está ruim. Se o teste indicou que está “bom” nem sempre é uma verdade inquestionável, talvez seja preciso realizar outros testes.

No caso do “X-tudo” também surgiram alguns probleminhas.

Quando tentei testar um transistor tipo Darlington o teste falhou e não foi capaz de identificá-lo apresentando um resultado errado já que o hfe mostrado na telinha estava muito baixo para um transistor de alto ganho como um Darlington.

Outra dificuldade foi encontrada nos transistores de saída horizontal com diodo interno.  O teste “se perdeu”.

É preciso que você esteja consciente que não poderá acreditar piamente em alguns resultados e é aí que entra o papel do técnico que é através dos seus conhecimentos saber analisar os resultados obtidos em uma medição.

Entretanto, estes pequenos problemas não depõe contra o aparelho e, a meu ver, o investimento vale a pena.

Só pra lembrar, sábado próximo, dia 20 de setembro, tem atualização técnica com o Fernando José. Dá só uma olhada no que ele preparou desta vez..

Cartaz SETEMBRO 2014

 

Até empre

Técnico em eletrônica formado em 1968 pela Escola Técnica de Ciências Eletrônicas, professor de matemática formado pela UFF/CEDERJ com especialização em física. Atualmente aposentado atuando como técnico free lance em restauração de aparelhos antigos, escrevendo e-books e artigos técnicos e dando aula particular de matemática e física.

banner ad

20 Responses to “Chegou meu brinquedinho novo made in China”

  1. Fábio Lucca disse:

    Primeiramente parabéns pelos artigos (são poucas pessoas que tem a dedicação e boa vontade de compartilhar seus conhecimentos em forma de bons artigos). Complemento algumas informações sobre esse projeto desse x-tudo que é chamado de “AVR Transistortester” pelos criadores, o projeto é aberto/livre ou algo assim, se originou da revista elektor de 04/2005 e foi melhorado/recriado 2 vezes, toda documentação e código fonte e demais detalhes de montagem é encontrada em: [ https://www.mikrocontroller.net/articles/AVR_Transistortester ]. Cheguei a montar a versão mais simples com um display 2×16 e um funduino [placa simples apenas o AVR 328p + cristal + regulador (sem bootloader e ftdi – é diferente de arduino)] funcionou legal mas como usei resistores de 1% e o CI tensão de referência (2,5V) de 1% não ficou muito preciso mas dá bem para o gasto, o que eu achei estranho foi o erro ao medir indutores que foi de 100%…. Agora a pouco comprei um display igual ao do modelo que vc comprou mas o vendedor do aliexpress mandou um sem a placa e terei que soldar o flat cable de 36 vias (em 2,5cm) e lidar com smds (para um amador/hobbysta) vai ser complicado…. ainda mais que quero reaproveitar a “casca” de um multímetro velho “xing ling” daqueles digitais amarelinhos e montar tudo dentro em uma placa nova dupla face…. vai ser um desafio… mas vamos lá…. já que você comprou um pronto como foi o erro do teste de indutores? E da medida de ESR? Pergunto sobre a ESR pois na minha opinião é a melhor função do X-Tudo.
    Obrigado!

    • paulobrites disse:

      Olá Luca
      Muitíssimo obrigado pelos seus comentários e contribuição.
      Quanto aos dois medidores eu tenho um da Dick Smith, uma empresa australiana que fechou, comprado lá pelo 2002 ou 3 se não me engano Fiz algumas comparações e forma bem razoáveis A medida da ESR é algo complexa por causa da frequência adotada.
      Quanto ao seu projeto se quiser documentá-lo e apresentar aqui no site as portas estão abeertas
      Acho que os leitores iriam apreciar.
      Abraços e volte sempre

  2. Paulo Cezar disse:

    Muito bom acabei de receber o meu , mesmo com os contras ,diga-se de passagem poucos , vale a pena , só não estou conseguindo achar uma caixa pra ele .

    • paulobrites disse:

      Que bom Paulo Cesar que gostou Eu usei uma caixa plástica Patola que se encontra em loja de componentes eletrônicos As dimensões são (+ ou -) 115mm x 75 mm com 20 mm de altura.
      O instrumento foi montado por fora como mostra a foto. Aqui no Rio em lojas de confecção de artesanatos encontramos também umas caixinhas de MDF que podem ser usadas.
      Abraços
      Paulo Brites

  3. Antonio Pretto disse:

    Caro Paulo Brites

    Este aparelho mede o ESR direto no circuito ou tem que tirar o capacitor para medir fora da placa.

    Att,

    • paulobrites disse:

      Caro Antonio eu diria que 99% das vezes sim. Afirmar 100% em medições é um pouco arriscado. Pode ocorrer alguma situação em o circuito em torno do capacitor produza uma resposta errada e aí não tem jeito só retirando para ver.

  4. alcineu disse:

    Ola Paulo. ainda lembro de suas publicações na eletronica popular, bons tempos aqueles.
    Esquentei tanto a moringa em montar um medidor de ESR, que acabei comprando um desse ai, minha paciencia hoje em montar esta zero rsrsrs…voce tem alguma tabela ESR para esse medidor? Estou aguardando a chegada de um desse ai e nem sei se vem.
    Desde já grato pela atenção
    alcineu@hotmail.com
    sds

  5. Rodrigo disse:

    Professor, para que serve o botão ( amarelo ou azul) com a indicação “k”? Grato.

  6. Mario Carneiro disse:

    Caro Prof. Paulo,

    Observei no site dos correios que o meu “brinquedinho” já chegou no Brasil, mas gostaria de uma informação. No seu caso houve tributação da Receita Federal?
    Outra dúvida que gostaria da sua opinião, se for possível. O osciloscópio protátil que aparece no link abaixo teria alguma utilidade para avaliar circuitos de fontes chaveadas?

    http://pt.aliexpress.com/item/Free-Shipping-ARM-DSO203-Nano-V2-Quad-4-CH-Portable-Digital-Oscilloscope-Channel-Pocket-Digital-Oscilloscope/1106062266.html

    Desde já agradeço pela sua ajuda.

    Mario

  7. João Almeida disse:

    Olá bom dia.
    Parabéns pelo teu site.
    Quanto a este aparelho ele não é assim tão novo.
    Eu tenho um que comprei há cerca de uns 15 anos e já vinha com caixa. Comprei na Conrad.de. Foi muito caro mas valeu a pena (ao principio) porque era novidade, na verdade quando aparece um mosfet ou um bipolar testa-se rapidamente com o multimetro não sendo necessario usar esta “alta tecnologia”. Mas sim no caso do ESR meter vale a pena.
    Cumprimentos.
    João Almeida
    Portugal

    • paulobrites disse:

      Caro João

      Obrigado por estar a gostar do site.
      É bem verdade que se pode testar mosfets e transistores com o multímetro, mas o que mais interessou-me foi a medida da ESR. Vou aposentar meu Dick Smith.
      E já que este é baratinho e testa “tudo” tanto melhor.
      A tecnologia dos microcontroladores e processadores tornou tudo mais barato.
      Divulguei o produto porque me pareceu uma boa opção para quem não tem nada.
      Esses dias revirando o meu “baú” achei um velho testador de transistores da Ocidental School da década de 70 que era fabricado pela Micronta. Um trambolho com uma lâmpada neon como indicador. Fiquei com pena de jogá-lo fora. Fica para o meu museu!
      Quem diria que chegaríamos onde chegamos.

  8. ANTOMAR disse:

    De grande importância na bancada. Obrigado professor pela dica “Made in China”

  9. Mario Carneiro disse:

    Excelente artigo. Vai me ajudar muito quando chegar o meu – http://item.taobao.com/item.htm?spm=a1z10.1.w4004-2323427602.2.rHOBEp&id=36323329572 – como você pode observar, ele possui local para testar componentes smd. Obrigado pelas informações.

    • paulobrites disse:

      Olá Mario

      Que bom que gostou do artigo.

      Realmente estes aparelhinho é um grande quebra galho na bancada.

      Abraços
      Até senpre

Deixe seu comentário

top