PZEM-061 – O que pouca gente sabe sobre ele

Recentemente eu comprei o PZEM-061 que é um módulo digital fabricado pela PEACEFAIR e permite ler tensões e correntes AC, bem como indicar a potência em watts e a energia em watts/hora.

PZEM-061

A PEACE FAIR é uma empresa chinesa (para variar) especializada em painéis de medidas em AC e DC.  CLICANDO AQUI você baixar um catálogo com alguns destes medidores.

Minha intenção é incorporar o PZEM-061 em um projeto que estou desenvolvendo e consistirá em um transformador de isolamento acoplado a um Variac. Provavelmente terá também uma fonte capaz de fornecer tensões DC de 0 a 300V.

É o “caixotão X-tudo” que em breve apresentarei aqui.

A questão é que o PZEM-061, assim como outros instrumentos da série, só começa a medir a partir de 80V, segundo o fabricante. Na prática eu verifiquei que funcionava a partir de 35V.

Entretanto, ainda assim não seria muito bom uma vez que eu pretendia usá-lo para medir a saída de um Variac logo, gostaria de poder medir tensões a partir de zero volt ou bem próximo deste valor.

Comecei então, uma busca na Internet do diagrama do dito cujo que pudesse me dar alguma indicação para modificá-lo a fim que fosse possível ler tensões abaixo de 80V.

Em princípio o que encontrei foi apenas manual de instalação que não ajudava em nada.

Parti então, para a busca de vídeos no Youtube.

Nestes casos sempre dou preferência a fazer a pesquisa em inglês pois, tenho uma chance maior de encontrar coisas mais técnicas e não, como na maioria das vezes, os meros “desencaixotamentos” que o pessoal chama de unboxing que se vê por aqui.

Digitei “how reading low voltages using PZEM-061” para ver aconteceria. Um chute para ver aonde chegaria.

Dentre os vários vídeos que apareceram um que me pareceu promissor foi a parte 4 do canal Quest for Zero de R.Brown.

Embora ele tratasse no PZEM-021, que é bem parecido com o PZEM-061, eu consegui perceber o porquê eles só começavam a medir a partir de 80V.

Aliás, vale ressaltar que eu deveria ter optado por este modelo que mede correntes de até 20A o que já seria de bom tamanho no meu caso, enquanto o PZEM-061 vai a 100A que eu nunca iria medir.

Transformador de corrente

Basicamente eles são iguais, o que muda é o número de espiras do transformador de corrente e, talvez, algumas instruções no microcontrolador.

Futuramente devo comprar o PZEM-021 para analisar.

Voltando ao vídeo de R.Brown, ele não dizia claramente porque isso acontecia, mas quem saber ler, como diz o ditado, um pingo é letra.

Todo técnico sabe que qualquer equipamento eletrônico precisa de uma fonte de tensão DC para alimentar seus circuitos. “Até aí, morreu Neves”, como se dizia antigamente.

E de onde provinha a fonte DC no caso destes instrumentos?

Simples, de uma fonte de alimentação sem transformador (FAST) que era alimentada pela própria tensão AC a ser medida e que deveria produzir uma tensão DC de 3,3V para alimentar todos os CI’s do medidor.

Neste caso eram dois saber

  • V9821S – Medidor de Energia monofásico
  • HT1621 – Controlador do LCD

Mas, isto não nos interessa muito e sim entender a “FAST” neste caso e ver como poderíamos alimentar os CI’s de forma independente da tensão da rede elétrica.

Ajudado pelas dicas do vídeo de R.Brown eu descobri que a FAST era construída pelo circuito mostrado na Fig.1.

Fig.1 – Circuito da FAST do PZEM-061

Na fig.2 vemos o capacitor amarelo de 1µF/275V, o resistor de 5,1Ω/1W.  O resistor de 470kΩ é um SMD que está no canto superior esquerdo que não dá para ver na foto e fica em paralelo com o capacitor “amarelo”.

Fig.2 – Componentes da FAST do PZEM-061

O diodo e o Zener estão debaixo do capacitor amarelo que será removido junto com o resistor de 5,1Ω e já irei explicar por quê.

A saída da FAST, no capacitor eletrolítico de 470µF/16V será levada ao circuito integrado SMD 7133-1 que é um regulador de tensão que irá fornecer 3,3V para alimentar os dois integrados do circuito. Acompanhe nas figs.3 e 4.

Fig.3 – Componentes da FAST

Fig.4 – Regulador de tensão HT7133-1

Modificando o PZEM-061

A intenção do(s) projetista(s) da PEACEFAIR, certamente, era que estes instrumentos fossem usados em quadros de energia elétrica (quadro de luz, como dizem por aí) e por isso, não parece viável ter que usar uma fonte separada para alimentá-los, daí, creio eu, a opção por usar FAST em todos eles.

Entretanto, este não era o meu caso e sim usá-lo, como mostrado na fig.5, na saída de um transformador de isolamento alimentado por um VARIAC, onde a tensão de entrada do dito transformador poderia ficar abaixo dos 80V o que me levou a desejar incluir uma alimentação DC independente.

Fig.5 – Variac + Trafo Isolador + PZEM-061

O primeiro passo foi remover o capacitor amarelo, o resistor de 5,1Ω/1W e o diodo Zener, que compunham a FAST, pois estes componentes não seriam mais utilizados.

O diodo, entretanto resolvi manter pois, para garantir que, se houvesse uma inversão de polaridade acidental da fonte DC externa, nada de mal aconteceria o circuito.

O Zener era de 12V, como eu suspeitava, por causa do isolamento do capacitor SMD ser 16V o que eu comprovei mais tarde por mera curiosidade.

Entretanto, olhando o data sheet do HT7133 via-se que ele pode trabalhar com tensão entrada mínima de 5,5V e máxima de 24V.

Parâmetros do HT-71xx

Sendo assim, não precisaria utilizar 12V e optei por 9VDC, não estabilizado, aproveitando uma fonte aqui da minha sucata.

Como ligar a fonte externa

O positivo da fonte DC será ligado no anodo do diodo como eu já expliquei. E o negativo?

O negativo da fonte poderá ser ligado no negativo do capacitor de 470uF/16V.

Acompanhe na fig. 6.

Fig. 6 – Ligação da Fontes externa no PZEM-061

Ligando a tensão AC e o transformador de corrente

Acompanhe na fig.7 como será feita esta ligação no PZEM-061.

Fig.7 – Ligação da REDE e o do Trafo de corrente no PZEM-061

Deve se prestar atenção à ligação de fase (line) e neutro pois, o terminal marcado como neutro nos bornes da fig.7 está ligado ao GND do circuito.

No meu caso particular como o instrumento será ligado na saída do transformador de isolamento não precisarei me preocupar com isto uma vez que não temos mais fase e neutro na saída dele.  Aliás esta é a função do transformador de isolamento.

No vídeo a seguir eu mostro um ensaio desta construção ainda sem o transformador de isolamento razão pela qual usei uma tomada brasileira de três pinos para evitar trocar line (fase) com neutro. O terceiro pino ficou sem ligação, serviu apenas de guia.

Num próximo artigo irei apresentar o “caixotão”. Aguarde.

E eu fico cá a aguardar os seus preciosos e sempre bem-vindos comentários.

Vacina SIM! (eu já virei jacaré chinês)

5/5 - (1 vote)

Paulo Brites

Técnico em eletrônica formado em 1968 pela Escola Técnica de Ciências Eletrônicas, professor de matemática formado pela UFF/CEDERJ com especialização em física. Atualmente aposentado atuando como técnico free lance em restauração de aparelhos antigos, escrevendo e-books e artigos técnicos e dando aula particular de matemática e física.

Website:

12 Comentários

  1. LINDSON CLEITON VALENTE DE SOUZA

    Boa noite professor, fiz uma cagada aqui e liguei uma fase no lugar do TC e estourou aquele resistor SMD, será que foi só ele ou já morreu?

    • Paulo Brites

      Sei lá, só testando.
      Troca o resistor, liga numa lâmpada série e vê se funciona.

  2. ELIESER LIBERALESSO

    Bom dia!
    Poderia me informar se posso aumentar o comprimento dos fios do transformador de corrente?
    Preciso colocar ele a uns2 metros de distancia do cabo da carga.
    Desde já agradeço

    • Paulo Brites

      Eu creio que poderia aumentar um pouquinho, mas não tanto É possível irradiação pelo caminho e acabe alterando a medida.

  3. Josiano

    Olá professor, realmente difícil achar algo técnico desses aparelhos, o que acho estranho nele é que, medindo a geladeira, e quando esta puxa com o motor ligado 2,16A com 126V, marca na potência 110 ou 120W, onde deveria ser 272W, li algo sobre o fator de potência, mas fiquei entrigado, será que o total de energia mostrada por ele é pelo fator de potência ou é produto da corrente e tensão medida?
    Coloquei direto no relógio de entrada medindo a casa toda, aí algo mais estranho ocorreu, quando tem algo puxando por ex, 130W e nesse momento a geladeira liga o motor, onde era pra quase dobrar com mais 120W, a potência mostrada diminui pra uns 90W, aí quando ligo duas lâmpadas, diminui mais ainda, pra uns 70W, mas a corrente aumenta pra 3 ou mais amperes.
    Fiz esse teste em 24h, e comparei com o medidor da companhia, e deu uma diferença de mais de 5 KW de consumo a mais para o da companhia. Estou em busca de informações, obrigado pelo post faça sempre.

    • Paulo Brites

      Olá Josiano
      Pois é, os próprios fabricantes não informam corretamente. Escrevem W quando deveriam escrever VA.
      Se a reatância for pequena até dá para “aceitar”.
      Estes instrumentos realmente parecem não ser muito confiáveis.
      Quanto ao medidor da concessionário indicar a maior, parece “normal” rsrsrs. A menos que estejam fazendo “miau” na sua rede….sabe-se lá.

  4. Danilo

    Olá Professor, adquiri um dispositivo pzem 061 e percebi algumas medidas meio incorretas (comparei com o multímetro fluke), poderia fazer um vídeo a respeito?

    • Paulo Brites

      Olá Danilo
      Eu fiz um video sobre ele e está no meu canal.
      Por esses dias devo voltar a trabalhar com ele num projeto de um Variac com transformador de isolamento que estou desenvolventoo.
      Temos que considerar que o Fluke que você usou deve ser TRUE RMS e o PZEM 061, não.
      De qualquer maneira vou analisar mais detalhes.

  5. Ivan Ferreira de Araújo

    Boa noite professor. Comprei um dispositivo desse (PZEN-061) para monitorar um nobreak com banco de baterias e um inversor hibrido da Growatt. Quando liquei o equipamento, o medidor começou a funcionar normalmente, mas após algum tempo, a iluminação começou a falhar, até que se apagou de vez e o display ficou fraquinho. O que pode ter acontecido? Será que é possível repará-lo?

    • Paulo Brites

      Caro Ivan, precisaria de mais algumas informações para tentar descobrir o problema “a distância”
      Para começar qual o modelo do inversor e como toda a instalação foi feita.
      Como eu explico no artigo a alimentação dos Cis é feita uma FAST, então seria preciso verificar se ela não está fornecendo uma tensão maior do que eles aceitam o que poderia ter levado à queima do controlador do display.
      Sem mais informações fica um pouco na base da adivinhação o que é não é minha “especialidade”.

  6. cicero alvares da silva

    muito bom professor vou aguardar o prosximo video muito obrigado um abraço e ate sempre.

    • Paulo Brites

      Olá Cícero, chegou hoje o outro medidor para DC em breve vou publicar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.