Encontro o seu transistor em três dias

Estranhou a imagem ao lado do post e mais ainda o título “Encontro o seu transistor em três dias”?

O post é um recadinho direto para os “técnicos” que me mandam e-mails pedindo para eu resolver os problemas deles e, sinceramente, fico muito irritado com estes pedidos porque o objetivo deste blog não é servir de “consultório sentimental” do tipo destes anunciados pelos postes e muros da cidade.

Mas se você é TÉCNICO realmente e quer algumas dicas para VOCÊ MESMO encontrar o substituto ou equivalente de um diodo, transistor seja bipolar ou mosfet, então continue a ler porque a ideias aqui apresentadas poderão ser úteis sem precisar me mandar e-mails ou recorrer a bruxarias do tipo anunciado no cartaz.

Substituto versus equivalente

Antes de prosseguir vale uma reflexão sobre a diferença entre substituto e equivalente.

Quando os semicondutores entraram na Eletrônica lá pelo idos dos anos 60 do século passado os chineses só faziam pastel!

Naquela época tínhamos poucos fabricantes de diodos e transistores que ficavam entre americanos (do norte) e japoneses.

As exigências dos circuitos ainda eram relativamente pequenas e a preocupação com os parâmetros dos componentes ficavam basicamente entre tensão e corrente.

Surgiram os “manuais de equivalência” que podiam ser encontrados na maioria das lojas de componentes eletrônicos para consulta dos compradores e comparavam estes poucos parâmetros e ofereciam um “substituto ou equivalente” que, às vezes, funcionava, às vezes, não.

O substituto, replacement em inglês, é um componente que apresenta características/parâmetros iguais ao original, geralmente, fabricado por um competidor. Mal comparando o replacement seria o remédio genérico.

Já o equivalente ou nearest preferred é um componente que como a expressão em inglês indica numa tradução livre “é o preferido mais próximo”.

Em outras palavras, talvez possamos usá-lo para “substituir” o original, mas precisamos comparar os parâmetros cuidadosamente examinando os respectivos data sheets do original e do nearest preferred.

Pode ser que tenha algum parâmetro que não “se encaixe” e a substituição venha a trazer problemas, pois como eu disse os circuitos se tornaram mais sofisticados.

Os chineses mudaram o mundo da eletrônica

Nos últimos 20 ou 30 anos surgiu uma quantidade avassaladora de fabricantes de componentes eletrônicos, principalmente na China embora os coreanos também tenham entrado com força neste lucrativo mercado.

Parece que todos chineses que não vieram para o Brasil montar uma pastelaria ou uma loja para vender quinquilharias, ficaram por lá e montaram sua “fábrica de semicondutores” na cozinha ou no quintal da casa.

Uns se dedicam a falsificação de qualquer jeito (e vendem para os brasileiros que querem comprar mais barato).

Outros, mais sofisticados “clonam” os originais e como não podem colocar o código do original “inventam” seus próprios códigos.

Já deu para perceber a confusão que ficou e talvez você nunca encontre o data sheet de um componente destes, por razões óbvias.

Aí vai ficar realmente difícil e, por favor, não me peça para resolver para você. Melhor procurar quem “traz seu amor em três dias”!

Tentando ajudar o Técnico (com T maiúsculo) a encontrar o substituto ou equivalente (sem me perguntar)

Para início de conversa o primeiro passo, como sempre digo, é encontrar o data sheet do famigerado semicondutor apelando para São Google que costuma ser mais eficiente do que o pessoal que “traz seu amor em três dias”.

Se conseguir, este já pode ser considerado, por enquanto, seu dia de sorte.

Caso contrário, dependendo do equipamento e do seu grau de conhecimento técnico, na minha opinião, o melhor a fazer é devolver “o defunto morto” para o dono, enquanto está quente para não ser acusado de ser você o “assassino”.

Supondo que é seu dia de sorte e conseguiu o data sheet da “figurinha difícil” vamos a minha primeira dica para VOCÊ MESMO ”encontrar o seu transistor em três dias”: – aprender a ler data sheet.

Caso ainda não saiba CLIQUE AQUI, porque já passou da hora.

No primeiro momento o que você irá precisar será apenas o resumo com as informações básicas como aparece na fig.1 para o IRFP 7530PbF fabricado pela International Rectifier tomado aqui como exemplo.

Fig.1 – Data sheet IRFP7530PbF

Escolhi este transistor aleatoriamente para exemplificar alguns métodos de pesquisa que eu costumo utilizar para encontrar substitutos ou equivalentes.

O data sheet completo deste transistor você vai achar CLICANDO AQUI.

Uma dica que pode ajudar é saber qual o fabricante e que pode ser identificado no data sheet ou pelo logo impresso no corpo do transistor como se vê na fig.2, para este exemplo.

Neste caso, descobrimos que não se trata de um fabricante Shing Lin, mas pode ser que algum chinês já tenha fabricado um clone e colocado outro código para “disfarçar”.

Há a também a possibilidade de que um competidor da International Rectifier fabrique um transistor “equivalente” e isso poderá ser descoberto no site da própria International Rectifier (atualmente Infeneon) como veremos depois.

Método 1 – Caçando um substituto pelos parâmetros

Este método consiste em pegar as características básicas do componente através do data sheet. Neste exemplo: –  Power Mosfet 60V 195A.

Observe que o fabricante não citou se se trata de um Canal N ou P, mas isto você poderá concluir examinado a simbologia do transistor, não é mesmo?

Neste caso concluímos tratar de Canal N modo enhacement.

Não entendeu esse negócio de “modo enhacement?

Então está na hora de ler meu e-book Fontes Chaveadas para Principiantes (capítulo 5),

Vamos colocar os seguintes dados na pesquisa do Google para começar e ver o que aparece

“Power Mosfet Canal N 60V 195A”

Sugiro que você faça isso.

Você pode refinar mais a pesquisa incluído o tipo de invólucro (package em inglês) TO-247 e também o RDS, neste caso entre 1,65 e 2.0milohms.

Encontrará vários anúncios de venda e em particular o site da Mouser que considero muito bom para pesquisa.

Opa, apareceu um vendedor oferecendo o FQP50N06.

E aí, devo comprar este, você deve estar querendo me perguntar.

Minha resposta é uma pergunta: já olhou o data sheet dele e comparou com o outro?

Hora do jogo dos 7 erros

Comparando os resumos dos dois data sheets o que você achou diferente?

Fig. 5 – Data sheet FPQN50N06

Se você disse que foi a corrente de dreno, acertou e já deve ter concluído sabiamente que é melhor procurar outro porque ela apenas 50A contra 195A do original.

Não vou continuar a pesquisa, porque não estou precisando comprar este transistor, mas pelo que tudo indicou até aqui ele é realmente uma figurinha difícil.

Você poderia argumentar, mas isso dá muito trabalho e é muito demorado.

Concordo, e você quer passar o seu trabalho para mim mandando um e-mail pedindo para eu lhe dar a resposta mastigadinha?

Método 2 – Reference cross (referência cruzada)

Uma outra forma de pesquisa consiste em acrescentar a expressão “reference cross” ao lado do código quando for fazer a busca no Google.

Experimente digitar “IRFP7530PBF reference cross” e talvez apareçam algumas opões, mas não vá aceitá-las imediatamente sem, novamente, baixar os data sheets e comparar.

 Método 3 – “Reference cross” do fabricante

Muitos fabricantes fornecem sugestões de replacements fabricados por competidores.

Para pesquisar digite no Golgle “nome do fabricante original reference cross”.

Por exemplo, “on semi reference cross”.

Veja o que aconteceu quando tentei pesquisar o transistor SSP15N05.

Apareceu “Você quis dizer” seguido de vários códigos diferentes do que foi pesquisado, ou seja, não foi encontrado nenhum replacement e sim alguns nearest preferred.

Neste caso seria necessário explorar os data sheets destas “sugestões” da On Semi e ver se seria viável usar alguma(s) dela(s).

Resolvi tentar descobrir quem é o fabricante original do SSP15N05 pesquisando mais um pouco no Google e descubro que é a Samsung como você pode ver CLICANDO AQUI.

Então, está explicado porque o reference cross da On Semi não ajudou.

Vou mudar a maneira de fazer a busca colocando “samsung electronic devices reference cross” e sou redirecionado para outra página e mais outra.

Chego em https://www.yumpu.com/en/document/read/2064460/mosfets/7.

Uso a “lupa” de pesquisa e bingo!

Descubro que o replacement é fabricado pela ST com o código STP20NE06 e procuro o data sheet deste código.

Comparo os dois detalhadamente e parece que ele realmente pode substituir o original com segurança.

Achei o substituto no Google, agora só falta encontrar para comprar.

E se não achar?

Só posso lhe dizer “sinto muito”. Se eu fosse você devolveria o aparelho, pois fujo de encrencas.

O transistor é “mosca branca”, não vou assumir o risco de colocar qualquer coisa no lugar e ver se funciona.

Não gosto de viver fortes emoções.

E se o cliente levar para o concorrente e ele resolver?

Sorte dos dois. Que sejam felizes para sempre ou até o aparelho dar pau antes da garantia (90 dias, pelo CDC) acabar.

Ri melhor quem ri por último, diz o ditado.

Não existe mais espaço para amadores

Tenho repetido esta frase sempre.

A era do consertador “via fórum” e trocador de peças acabou!

Ou o sujeito é Técnico ou é Técnico e ponto final.

Tentei neste post apresentar algumas “técnicas investigativas” para encontrar “figurinhas difíceis”.

Não são definitivas nem infalíveis, mas nos dão o caminho das pedras.

Com um pouco de criatividade e perspicácia você poderá encontrar outras e se quiser contar para gente a comunidade de Técnicos agradece.

Agora é com você ou então, procure uma cartomante.

Já ensinei a pescar. Não me peça para colocar o peixe no anzol e você apenas puxar a linha.

AGUARDO SEU COMENTÁRIO 

Paulo Brites

Técnico em eletrônica formado em 1968 pela Escola Técnica de Ciências Eletrônicas, professor de matemática formado pela UFF/CEDERJ com especialização em física. Atualmente aposentado atuando como técnico free lance em restauração de aparelhos antigos, escrevendo e-books e artigos técnicos e dando aula particular de matemática e física.

Website:

2 Comentários

  1. walter jansen

    ja usava algumas tecnicas e aprendi outras

    • Paulo Brites

      Que bom Jansen que foi útil. A vida é m eterno aprendizado. Nunca se sabe tudo, eu ainda estou a aprender também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − 4 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.