Desmistificando a troca de LEDs em TVs LCD

Volta e meia recebo e-mails de leitores do site pedindo um post desmitificando a troca de LEDs em TVs LCD.

Entretanto, há muito tempo parei de consertar televisores, por várias, dentre elas, falta de tempo e de espaço para trabalhar com telas imensas.

Ao saber que meu amigo Fernando José irá fazer um treinamento presencial aqui no Rio desmistificando a troca de LEDs em televisores bem como várias dicas sobre o tema, pedi que ele desse uma “canja” para os meus leitores e escrevesse alguma coisa sobre o assunto.

Talvez a matéria abaixo te ajude um pouco!

Com a palavra o Prof. Fernando José do Clube do Técnico-RJ.

Ganhado dinheiro como nos “bons tempos” das válvulas

Ao surgirem do mercado as TVs LCD, nós técnicos, pensamos “Opa! Ganha pão à vista: – trocar muitas lâmpadas nos TV’s LCD” que, primitivamente, utilizavam o sistema de BACKLIGHT com lâmpadas CCFL ou EEFL como se vê nas figuras. 1 e 2.

Fig. 1 – Lâmpada CCFL

Fig. 2 – Lâmpada EEFL

Com o tempo, fomos descobrindo que se fossemos depender de troca de lâmpadas nestes TV’s para sobreviver, realmente teríamos morrido de fome, pois, eu desde que os TV’s LCD estão no mercado, só peguei três TV’s com problema de lâmpadas e nos três casos, como eram TV’s de 22 polegadas, fiz a troca por barras de LED que vêm da China prontinhas para serem colocadas no lugar das lâmpadas.

Problema resolvido, cliente feliz e eu, mais ainda, com din din no bolso.

Na figura 3 vemos as barras de LED para substituir lâmpadas CCFL ou EEFL dos TV’s.

Fig.3 – Kit com barra de LEDs

Em TV’s de telas maiores, nunca tive problemas relacionados a lâmpadas.

Aí, quando surgiram as TV’s LCD com o BACKLIGHT de LED, com certeza, todos, assim como eu, pensamos: – agora mesmo é que não vamos ter problemas com o BACKLIGHT, já que os LED’s, diz a propaganda, são eternos como os diamantes!

Mas, diz o ditado “de onde não se espera é que sai” e mais uma vez (ainda bem) nos enganamos e o ganha pão voltou, pois, um dos problemas mais comuns atualmente são, justamente, LEDs danificados nos backlight dos TVs LCD.

Em princípio, a troca dos referidos LED’s, não é o maior problema nessa situação.

Nem tudo são flores na vida de um técnico de TV

Parece-me que há um consenso entre nós, técnicos reparadores, que uma questão bastante desagradável é o retorno de um aparelho dentro do prazo de garantia, no caso dos TVs, como o “mesmo defeito”, tela apaga e … LEDs queimados de novo.

Uma causa provável para este problema, pode ser o manuseio de forma inadequada dos LEDs nas telas LCD.

Já tratei deste problema no treinamento de janeiro e darei continuidade ao tema agora em fevereiro, bem como, quem sabe, em outros posts aqui no site do Paulo Brites (atendendo a pedidos!)

O que posso acrescentar, além do manuseio dos LEDs de forma inadequada,  sobre o problema do retorno do TV com a reincidência do problema de LED’s queimados, está, na grande maioria dos casos, está relacionado a não utilização de um testador de LED’s que realmente permita analisar o funcionamento dos LED’s.

Trocando LEDs sem saber porque queimaram

O terceiro problema do retorno do TV nestes casos (como, geralmente, em qualquer falha) pode ser o “desconhecimento” do principal fator que leva os TV’s com BACKLIGHT de LED apresentarem tantos problemas relacionados a queima dos LED’s.

Você já parou para pensar nisso?

Acho que se apostar que não, ganharei a aposta.

O fator principal está ligado aos cortes de gastos que os fabricantes fazem, não na intenção de proporcionar ao público um TV mais barato, mas sim, o de conseguir reduzir os custos de produção e ainda assim vender o TV pelo mesmo preço do que seria vendido sem esses cortes!

Então, tudo no final, cai na mesmo situação que vem gerando vários problemas ao decorrer da história humana, ou seja, o dinheiro!

Mas, como dizem por aí – aqui não é o fórum adequado para tratar disto, e portanto vou me ater ao problema da troca dos LEDs.

Em geral, a grande maioria dos técnicos simplesmente possui um testador que faz acender os LED’s existentes nos barramentos e com o painel devidamente já desmontado, aplica-se a tensão do testador aos terminais dos barramentos e observa-se quais LED’s acendem e quais não acendem e obviamente, os que não acendem serão os que vão ser substituídos.

Aí é que mora o perigo, pois mesmo os LED’s que “aparentemente” estão acesos, podem estar alterados e não é possível detectar essa condição apenas observando qual acende e qual não acende!

Faz-se necessário e obrigatório verificar o consumo de corrente dos LED’s e na verdade, deveríamos verificar o consumo de cada LED em separado para se ter certeza das condições de cada um deles!

É claro que essa verificação deve ser feita por comparação com um LED de mesmas características que o original do barramento e que esteja novo.

Se você é técnico com T maiúsculo, sabe que para se medir a corrente que circula por um determinado circuito, é necessário interrompe-lo e colocar o miliamperímetro ou o amperímetro em série, alimentar esse circuito e observar no mostrador do instrumento, o valor de corrente consumido, neste caso, pelo LED.

Se não é técnico com T maiúsculo procure o Clube Aprenda Eletrônica com Paulo Brites (Plim Plim!).

A figura 4 dá uma ajudinha.

Fig. 4 – Medindo a corrente dos LEDs

Sem datasheet não dá pra ser feliz como diz o Brites

Como podemos ver em parte de um datasheet de um LED SMD utilizado em BACKLIGHT’s de TV’s, a corrente de consumo deve ficar entre 300 e 700mA.

Fig. 5 – Datasheet de LEDs

Então, qualquer multímetro analógico ou digital que tenha uma escala de pelo menos 10A será capaz de fazer a medição da corrente total consumida pelo LED.

Dessa forma, você pode ver o consumo indicado no datasheet do LED que é usado nos barramentos em que você está fazendo o reparo, fazer a medição da corrente em cada um dos LED’s e aí verá quais aqueles que, mesmo acendendo aparentemente normal, podem estar com um consumo elevado e certamente em breve vão apresentar alguma falha fazendo o TV retornar a sua bancada para azar seu e nervosismo do cliente!

Claro que você está se perguntando se é possível fazer essa verificação da corrente de uma forma mais simplificada, já que abrir o circuito do barramento para medir a corrente de cada LED, vai dar um trabalhão daqueles!

Bom, aí eu posso dizer que se você estiver presente em nosso treinamento do dia 16 de fevereiro aqui no centro do Rio de Janeiro, vai poder ver como fazer essa checagem de uma forma menos complicada e mais rápida!

E vai poder também aprender a montar um bom testador de LED’s que vai te permitir acender um barramento, todos os barramentos ou até mesmo um LED de cada vez e ainda verificar se tem algum LED com consumo excessivo de corrente!

Afinal, não vou entregar todo o ouro aqui. Isso é uma “canja”, mas sem a galinha.

Para quem “sabe ler um pingo e letra” e se você for técnico com T maiúsculo, está aí o caminho das pedras e partir daí pode tirar suas conclusões.

Para saber como se inscrever em meus treinamentos veja as informações no banner aqui abaixo.

Para os que estão longe do Rio de Janeiro e não tem condições de estar presente, temos também os nossos treinamentos EAD através do WHATSAPP e do TELEGRAM sempre com temas baseados nos treinamentos presenciais que realizamos aqui no RJ!

Lembrando que os treinamentos EAD são “EXCLUSIVOS” para os que estão fora do estado do Rio de Janeiro!

Deixo aqui o meu agradecimento ao amigo e professor Paulo Brites que sempre está colaborando com o Clube do Técnico – RJ e a oportunidade de passar estas dicas para você.

Até a próxima amigos!

 

Paulo Brites

Técnico em eletrônica formado em 1968 pela Escola Técnica de Ciências Eletrônicas, professor de matemática formado pela UFF/CEDERJ com especialização em física. Atualmente aposentado atuando como técnico free lance em restauração de aparelhos antigos, escrevendo e-books e artigos técnicos e dando aula particular de matemática e física.

Website:

2 Comentários

  1. Como faço para ter acesso a todas as suas publicações, sou tecnico desde 1971( dos antigos kkkk) e ainda estou na ativa hoje consertando tvs de led e lcd e plasma, ai que saudades das válvulas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze − 12 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.