search
top

O que todas as pessoas precisam saber sobre matemática e unidades de medidas

O que todas as pessoas precisam saber sobre matemática e unidades de medidas

Se você é meu seguidor há algum tempo não irá se assustar com o título “O que todas as pessoas precisam saber sobre matemática e unidades de medidas”, num blog sobre eletrônica, pois já sabe que eu estou sempre procurando mostrar a ligação entre todas as coisas do Universo.

Mas, se chegou agora “na festa” é bom que fique sabendo que não resisti em aproveitar um espaço que já conta com uma média de mil leitores/dia para tentar “fazer a cabeça” daqueles que odeiam matemática tentando mostrar que esta ciência ou linguagem (como defendem alguns) não só é apenas muito fácil de entender, bem como importante no dia-a-dia de todos nós.

A questão, a meu ver, é que na escola se ensinam coisas desnecessárias para a vida e deixam passar batido aquilo que realmente todas as pessoas precisam saber sobre matemática e unidades de medida, por exemplo.

Vou começar justificando de onde veio minha motivação para escrever este post.

Certo dia passava eu por uma barraquinha de um vendedor de água de coco quando vi um cartaz que dizia: um copo de 200ml por R$ 2,50 e um litro por R$ 13,00.

Imediatamente ao ler aquele cartaz pensei, se este senhor frequentou a escola ela não lhe serviu para nada.

Qualquer um sabe que uma regra básica do comércio é que no atacado vende-se mais barato que no varejo.

Forçando um pouco a barra podemos considerar que um litro seria uma venda por atacado, enquanto um copo seria no varejo, mas este vendedor resolveu inverter a “lógica” comercial.

Até parece uma promoção de papel higiênico que vi dia destes numa farmácia: leve 11 e pague 12. Comprei na hora, afinal com uma vantagem destas, eu compraria até pedras da Lua, mesmo que não saiba o que fazer com elas!

Voltando ao vendedor de água de coco, pergunto a você: – o que está “estranho” no cartaz dele?

Eu arriscaria a dizer primeiramente que ele não sabe o significado de “ml”, ou se sabe, o que eu ponho em dúvida, então pior ainda, não sabe multiplicar 5 por 2,50 o que dá 12,50 e não os R$ 13,00 que ele escreveu no cartaz.

Se você também não sabe isto fica entre nós, prometo que não conto pra ninguém. Talvez a culpa não seja sua e sim do sistema de ensino.

Vou fazer de conta que você levantou o dedo e disse “fessô” não entendi, explica de novo e com a paciência que todos os professores deveriam ter digo-lhe que “ml” significa “mili litros” e, mais ainda “mili” quer dizer a milésima parte de qualquer coisa e não, obrigatoriamente de um líquido precioso e saudável como a água de coco.

“No popular” mili significa dividir qualquer coisa por mil.

Tá bom, professor e o que isto tem a ver com “5 multiplicado por 2,50”?

Tudo a ver, porque um litro (de qualquer coisa) corresponde a 1000 ml, e como o “m” aqui significa mili que é dividir por 1000, então se multiplicamos por 1000 e dividimos por 1000 uma operação cancela a outra e sobra 1L (um litro).

Resumindo 1 litro = 1000 mililitros e se cada copo do vendedor de coco continha 200ml, eu pergunto “com quantos paus se faz uma canoa” ou, neste caso, com quantos copos de 200ml se faz 1000ml ou 1 litro?

Se você não fugiu da escola deverá responder 5 copos, ora bolas e, portanto neste caso sairia mais barato comprar 5 copos do que 1 litro.

Comida a kilo

Comida a kilo

Este foi apenas um exemplo da importância de se entender para que servem as unidades de medidas e algumas letrinhas que normalmente vê-se associadas a elas como o “m” neste exemplo, mas poderia ser o “k” que significa “kilo” que em português escreve-se quilo e quer dizer que devemos multiplicar por mil, seja o arroz, o feijão ou a porção do prato da “comida a kilo”.

Pera aí, “quilo” o quê? Ah! O dono do restaurante quis dizer “kg” ou quilograma, mas não discuta com ele, se o preço for bom coma assim mesmo.

Não serei tão rigoroso assim, afinal quando eu vou ao supermercado eu também peço “um kilo de queijo” e não “um quilograma” (pedia, porque hoje, como aposentado do governo do Estado do Rio de Janeiro, só peço 100 gramas!).

Aliás, por falar em supermercado, noutro dia pedi a atendente dos laticínios que cortasse “um quarto de queijo minas” para mim.

Ela me olhou surpresa ao mesmo tempo que fazia uma cara de ponto de interrogação para a colega ao lado e, colocando em palavras a expressão do seu rosto, perguntava-lhe: e aí, o que eu faço?

A colega, mais esperta, respondeu: – “corta em cruz e tira um pedaço”. Isto é matemática popular.

60 KM

60 KM

Não fique triste se você não sabe utilizar as unidades de medida corretamente, o pior é quando se vê placas colocadas por órgãos do governo como a da figura abaixo.

Aqui eles abusaram no direito de errar e cometeram dois erros de uma vez só.

O primeiro foi usar letras maiúsculas para simbolizar quilômetro. O correto é km e o segundo é que velocidade é uma relação entre espaço percorrido num determinado intervalo de tempo. Neste caso o correto seria escrever “60km/h” e não apenas “60kM”.

Eu apostaria que a pessoa que preparou esta placa deve ter, no mínimo, o ensino médio (nem quero acreditar que seja engenheiro, senão a placa vai cair na cabeça de alguém).

Litro e metro cúbico

Aqui temos outra questão relacionada às unidades de medidas que costuma causar confusão na cabeça de muita gente.

A unidade litro expressava volume lá no primitivo Sistema Métrico Decimal criado em 1799 pela Academia de Ciências da França.

Naquela época, provavelmente não se pensava em medir volumes de materiais sólidos como, predas e areias, por exemplo, sendo assim ficou estabelecido o padrão litro, para algum tipo de garrafa ou similar.

O Sistema Métrico Decimal utilizava as três grandezas físicas mais significativas para a época: comprimento, “peso” e volume cujas unidades básicas adotadas foram respectivamente o metro, o quilograma e o litro.

Em 1960 foi feita uma reformulação geral deste sistema de unidades e instituído o Sistema Internacional (SI) que passou adotar como grandezas físicas de referência o comprimento, a massa (popularmente confundida com peso) e o tempo entre outras.

As unidades de medida de referência passaram a ser respectivamente o metro, o quilograma e o segundo.

Reparou que o litro não entrou no SI? Então como se mede volumes?

O volume passou a ser medido “oficialmente” pelo metro cúbico (ou seus submúltiplos, como decímetro cúbico, centímetro cúbico ou milímetro cúbico).

Entretanto, o litro como unidade de volume já era tão comum para as pessoas que o SI aceitou-o e aí foi necessário se estabelecer uma relação entre o volume medido em litros ou metros cúbicos que se simboliza por m3.

E aqui surge uma confusão para algumas pessoas que costuma associar 1 m3 a 1L (litro pode ser simbolizado também por “L” maiúsculo para evitar confusão com o número um na digitação).

Se pararmos para pensar um pouquinho veremos que um enorme absurdo achar que 1m3 é igual a 1L.

Um metro cúbico corresponde a uma caixa com 1 metro em cada lado, então dá pra desconfiar que cabe muito mais que um litro de qualquer coisa dentro de uma caixa destas.

Na verdade cabem 1000 litros em uma caixa de um metro cúbico.

O SI estabeleceu a relação 1L = 1dm3.

É só pegar qualquer caixa de leite ou de suco e conferir lembrando que “dm” significa decímetro ou dez centímetros.

Quando você vai comprar terra, areia ou pedra pra fazer um “puxadinho” você chega na loja de material de construção e pede, por exemplo, 5 metros de areia.

Na verdade você deveria pedir 5 metros cúbicos de areia (não faça isso, senão o vendedor é capaz de dizer pra você que “metro cúbico é a mãe”!).

Pois é, areia é volume, mas não é vendida em litros, assim como refrigerante ou leite não é vendido em decímetros cúbicos!

Começou a perceber a importância de saber trabalhar como unidades de medida?

Se você quiser fazer um aprender mais sobre unidades de medidas sugiro-lhe uma pequena apostila que eu escrevi para as turmas de jovens e adultos quando lecionava física no Colégio Estadual Joaquim Abílio Borges.

Tabuada Fácil Clique aqui

Técnico em eletrônica formado em 1968 pela Escola Técnica de Ciências Eletrônicas, professor de matemática formado pela UFF/CEDERJ com especialização em física. Atualmente aposentado atuando como técnico free lance em restauração de aparelhos antigos, escrevendo e-books e artigos técnicos e dando aula particular de matemática e física.

banner ad

6 Responses to “O que todas as pessoas precisam saber sobre matemática e unidades de medidas”

  1. Danilo disse:

    Ok. Vou ler o artigo indicado Paulo e também verifiquei que há outro seu ótimo publicado na data de 27 de maio de 2015 com título entendendo os valores dos capacitores.

    • paulobrites disse:

      Ok, Danilo
      Se ainda restarem dúvidas sinta-se a vontade para entrar em contato.
      As dúvidas, às vezes, podem se transformar num artigo para ajudar outros leitores.
      Abraços

  2. Danilo disse:

    Paulo, há possibilidades de você escrever uma matéria sobre valores de capacitores de poliester e cerâmicos, usando a matemática através de números decimais.
    Obrigado pela atenção.

    • paulobrites disse:

      Olá Danilo,
      Você já leu meu artigo “o estranho código dos capacitores” Veja se te atende.
      Abraços

  3. Wladyslaw Jan disse:

    Foi proposital para chamar a atenção ” sólidos como, predas e areias,” ?

    • paulobrites disse:

      Olá Wlad, sua participação e colaboração é sempre bem vinda.
      Bem, se se refere ao erro de digitação “predas”, em lugar de “pedras”, não foi proposital e já corrigi.
      Por outro usei pedras e areia para tentar “contextualizar” já que estava falando de material de construção e quis dar um exemplo clássico que como se pede normalmente este tipo de material. Obviamente que poderia ser outro sólido qualquer, como feijão e arroz, por exemplo. No nordeste é comum vender manteiga em garrafa, portanto “em litro” e não “a peso” como por aqui.
      Será que respondi?
      Abraços e volte sempre a casa e sua e todos que vierem. Esse blog pretende ser um coração de mãe!

Deixe seu comentário

top