search
top

Meu novo multímetro digital

Meu novo multímetro digital

Multimetro na caixaEstava na hora de comprar um novo multímetro digital, pois os meus estão começando a sofrer de “Mal de Parkinson”. Também com a idade que eles têm…

Nestes tempos de “ajustes” (pra corrigir o que foi desajustado) eu não queria nem podia gastar muito, mas também não queria abrir mão da qualidade.

Como eu sou um comprador compulsivo pela Internet que compra desde sapatos até geladeira por este caminho, comecei a minha busca, ou melhor, a “busca” veio até a mim. Daqui a pouco explico isto melhor.

Tem gente que em pleno século XXI ainda tem medo de bicho papão e de comprar pela Internet, pois eu acho que é bem melhor que sair batendo de loja em loja.

Vou abri um parêntese aqui sobre a compra do meu novo multímetro digital para contar uma história sobre comprar pela Internet que aconteceu comigo bem recentemente e talvez assim anime os mais medrosos e desconfiados.

Resolvemos, aqui em casa, que já estava passando da hora de entrar na Era da Smart TV (porque a nossa não é smart, e sim “de Marte’!).

Já havíamos decidido (eu havia!) que a marca seria LG, por ser uma das que além de ter uma boa qualidade de imagem e recursos, parece oferecer o melhor serviço de aquisição de peças e na pior das hipóteses ainda tenho os meus contatos da rede dos meus tempos em que fui autorizado da marca. Sempre me dei bem com os produtos da LG, mas isso é opinião pessoal e não estou ganhando comissão pra fazer propaganda do fabricante.

O segundo quesito é que a compra seria pela Internet, obviamente.

Odeio ir de loja em loja e ficar ouvindo as abobrinhas dos vendedores que se julgam expert no assunto, falando o que não sabem, além de que o preço pela Internet, em geral, é menor que nas lojas físicas.

É claro que devemos escolher lojas conhecidas e nunca comprar em qualquer lugar, principalmente se o preço estiver muito abaixo do mercado, pois como diz o ditado, às vezes, “debaixo do angu tem caroço”.

Ainda há mais uma grande vantagem de comprar pela Internet, você tem o direito de se arrepender da compra e devolver o produto sem ônus, alegando, simplesmente, que “não atendeu suas expectativas”.

Tá pensando que eu estou falando da Suíça?

Pois, saiba que não, estou falando aqui da nossa terrinha mesmo.

Se não acredita, vou lhe dar meu testemunho.

Pesquisa-se, daqui e dali, e acabamos por cair na Americanas.com (que é do mesmo grupo do Submarino e do Shoptime) e onde o preço estava de acordo com o “ajuste fiscal”.

O aparelho chegou poucos dias depois e felizes da vida, abrimos a caixa e instalamos (ou melhor, eu instalei) a dita cuja.

De repente, caiu a ficha! Como se faz para entrar na Internet?

Ué! Frustração geral. Olha e re-olha a caixa e descobre-se que compramos o modelo errado (eu indiquei o modelo errado).

Com tantos modelos à disposição para escolher, uma mera troca de um dígito no modelo e peguei o código errado, induzindo minha esposa (até então avessa a compras “internéticas”) a comprar o modelo errado, ou seja, compramos um TV que não era de um Smart TV.

ChapolimComo diria Chapolin “não criemos pânico”. Ligamos para o SAC da Americanas.com e informamos o ocorrido.

Imediatamente a atendente perguntou se queríamos o dinheiro de volta ou uma carta de crédito com validade de um ano para uma nova compra?

Preferimos a segunda opção, pois nossa intenção era comprar o televisor correto.

Para encurtar a história, que durou menos de um mês para ser resolvida, pagamos a diferença e o televisor “certo” já chegou.

E depois a gente fala que no Brasil nada funciona, será que na China é assim? Pode até ser, não sei.

Nota 10 para este quesito do Código de Defesa do Consumidor.

E o multímetro digital?

Minha intenção de comprar novo multímetro já estava tomada, só faltava “$tempo” para realizar o projeto e disposição para procurar algo que coubesse no “ajuste”.

De repente recebo um e-mail de uma loja de eletrônica com algumas promoções e dentre elas um multímetro Fluke que parecia interessante e o preço convidativo.

Fechei a compra? Claro que não.

Estimulado pela proposta resolvi pesquisar um pouco mais, pela Internet, é claro!

O modelo da promoção, que saia por pouco mais de duzentos reais em 3 ou 4 vezes “sem juros” era o 106 da Fluke.

Como sou devoto de São Google, apelei para ele que logo me mostrou as características dos modelos 106 e 107 (eita santo porreta de bão, sô!).

Esta série de multímetros digitais da Fluke é mais destinada a Eletricistas (com “e” maiúsculo), e produzida para o mercado internacional não tendo, portanto suporte de garantia no Brasil.

Já os modelos 106 IV e 107 IV são fabricados para o mercado brasileiro.

Qual a diferença? Você paga mais caro pelo nacional.

Resolvi que iria arriscar e comprar “sem garantia”, pois se viesse com defeito o vendedor teria que trocar e para mim a garantia pós venda, neste caso, é irrelevante.

As únicas diferenças entre o 106 e o 107 é que o segundo possui frequencímetro até 100kHz e escala de duty cylce, útil para sinais digitais.

Os dois modelos possuem escala para medir capacitores até 1000 µF o que realmente é mais que suficiente para eletricistas embora pouco para os eletrônicos.

Se a diferença de preço não fosse muito grande valeria mais a pena compra o 107 e que não estava na promoção da tal loja.

Hora então de ir novamente para Internet e pesquisar como andavam os preços.

Depois de algumas “promessas”, São Google fez o milagre.

Encontrei no Mercado Livre o modelo 107 em 12 vezes “sem juros” de 22 reais por mês. Vi que a reputação do vendedor era quase 100% (isso é importante) e não pestanejei, mandei ver, como dizem por aí.

Como a compra seria paga pelo paypal isto me dava uma garantia de ser ressarcido caso o vendedor fosse um picareta apesar da boa reputação.

O bichinho chegou já faz uns dois meses, mas só agora tive tempo de escrever sobre ele e até porque estava “dando um tempo” pra vez se não tinha nenhuma zebra.

Gostei do aparelho. Um tamanho pequeno que cabe na palma da mão e de aspecto bem robusto.

Uma única chave seletora de funções uma vez que ele é auto range e assim não precisamos nos preocupar com a escala errada pelo menos no que diz respeito ao valor a ser lido.

Realiza 6000 contagens atualizadas a cada 3 segundos, ou seja, bem rápido.

É auto power off desligando após 20 minutos de inatividade e possui iluminação do display também com desligamento automático depois de 2 minutos.

Medindo resistencia e continuidadePossui teste de continuidade com beep para resistências menores que 70 ohms.

Aqui é bom chamar a atenção para um detalhe que muitos desconhecem. É preciso ter cuidado usar o beep para medir continuidade porque ele irá funcionar com resistências até 70 ohms (todos eles são assim) e isto pode levar a um falso diagnóstico.

Por exemplo, já peguei cabos de força que mediam como bons na função beep, mas mesmo assim o aparelho não ligava.

Ao medir a resistência do cabo ponto a ponto ela não dava zero ohms como deveria, mas estava abaixo de 70, assim ao passar corrente a tensão que chegava ao aparelho caia e, por isso não funcionava.

No caso do Fluke a função beep está na mesma posição de teste de diodos e resistência e é comutada através de uma chave amarela tipo push bottom. Esta chave também é utilizada para mudar a leitura de corrente DC para AC.

Medindo corrente AC

Outra característica interessante é a função hold feita também através de uma chave push bottom que não deve ser utilizada se estivermos medindo tensões de valores desconhecidos.

O único senão é que ele embora tenha uma escala específica para medir tensões da ordem de milivolts, é apenas AC. Não entendi porque a “descriminação” com tensões DC desta ordem de valor.

Um detalhe bem interessante e o suporte para manter o aparelho inclinado que não é do tipo pé de porta retrato da maioria dos multímetros e que acaba quebrando com o tempo.

O Fluke vem com um suporte metálico e magnético cuja inclinação pode ser ajustada “a gosto E-book Gratis 250 300de freguês”. Como este suporte é magnético o aparelho pode ser preso em caixas de distribuição o que é bem útil para os eletricistas.

Enfim, considerando o preço, é um aparelho que atende a maioria das aplicações mesmo em eletrônica e a qualidade nem se compara a dos Shing Lin que andam por aí.

Fica aí a sugestão para quem precisa de bom multímetro e não está podendo gastar muito (com eu).

Até sempre

Técnico em eletrônica formado em 1968 pela Escola Técnica de Ciências Eletrônicas, professor de matemática formado pela UFF/CEDERJ com especialização em física. Atualmente aposentado atuando como técnico free lance em restauração de aparelhos antigos, escrevendo e-books e artigos técnicos e dando aula particular de matemática e física.

banner ad

10 Responses to “Meu novo multímetro digital”

  1. Alexandre disse:

    sou muito fam da fluke acho otimo

    • paulobrites disse:

      Pois é Alexandre hoje tem outraa marcas também muito boas no mercado.
      Confesso que este não era o multímetro dos meus sonhos, mas tambénm não estou mais trabalhando com coisas muito sifisticadas e este pelo preço foi uma boa opção.
      Abraços

  2. Prof. Brites, excelente post sobre os equipamentos da Fluke (cuidado que na china tem um tal de “FUKE” vendido no aliexpress…).
    Sempre achei o multímetro um aliado indispensável, tenho dois digitais (um mais parrudo com escala de frequência e capacitância, auto range e mais badulaques que servem em determinadas horas – e um outro mais simples “das antigas”), mas ainda apelo para o bom e velho “analógico” em algumas situações.
    Ter um bom multímetro influi (e muito) no nosso resultado, sou contra os “xing ling” porque eles tem uma qualidade péssima, mas temos aí os “fluke” (que estão com ótimos preços), os “minipa”, “icel” e os “hikari”.
    Sempre bom ver um “review” de um equipamentos sob a visão do Mestre Brites, porque ele vai direto ao ponto, no que nos interessa realmente.

    Ah Professor, se quiser posso escrever um artigo sobre equipamentos para BGA, a pedido do Sr Carlos. Trabalho com essa tecnologia há anos, e como também ministro cursos na área de notebook e “solda BGA”, é um assunto que posso falar sem “medo de ser feliz”. Caso afirmativo, me avise por e-mail, preparo um material “legal” sobre o assunto. Precisamos sim nos atentar para o retrabalho em placas que tenham os famosos “chipsets BGA”, é com certeza o futuro de tudo que é equipamento eletrônico.

    Grande abraço!

    • paulobrites disse:

      Caro Daniel

      Obrigado por participar com seus comentários.
      Na verdade tudo hoje é fabricado na China (além dos chineses kkk).
      O problema é saber se um Fluke ou um clene da Fluke.
      Quanto ao artigo sobre BGA será bemvindo com certeza.
      Fico no agurado é só mandar para contato@paulobrites.com.br que a gente vai se entendendo.
      Abraços

  3. Adriano disse:

    Brites este seu post me ajudou na escolha de um novo multimetro.. Cansei dos Minipas, todos os meus apresentam mau contato na chave seletora.. Este Fluke seu veio de um vendedor de Curitiba, é isso?

    • paulobrites disse:

      Pois é parafraseando Vinicius “Os outros que me desculpem, mas qualidade é fundamental” Fluke é Fluke.
      Comprei na FTC via Mercado Livre, mas foi em março.
      Boa sorte e até sempre

  4. Adailton Leal disse:

    Não tem bargraph? Em eletricidade, este recurso ajuda, quando analisamos uma grandeza (consumo de um ar condicionado, por exemplo) que varia num certo intervalo. No instrumento de agulha, analógico, isto é mais fácil de ser visualizado. No digital, os números, as vezes ficam variando muito rápido, e não podemos ver a faixa de variação.

    • paulobrites disse:

      Olá Adailton.
      Infelizmente não tem bargraph, mas como eu disse este é um modelo mais barato. Comprei levando em conta a qualidade x preço e pela urgência.
      Como tenho 4 analógicos nem me preocupei com isto.
      Abraços

  5. carlos disse:

    Parabéns professor Paulo estes multímetros da fluke são os melhores apesar que eu gosto muito da minipa também ,sou apaixonado por equipamentos de teste tenho uma bancada completa já graças a Deus ,como se diz a minha casa onde moro tem muita coisa para terminar más o mais importante é o laboratório kkk por isso não sobra dinheiro gasto tudo com compra de equipamentos imagina a briga com a patroa como o sr diz kkk estou agora indo para equipamentos de solda bga aliás o sr não poderia nos falar a respeito destes componentes que são um dos futuros das placas eletrônicas.

Deixe seu comentário

top